Read Assassinatos Na Academia Brasileira De Letras by Jô Soares Online

assassinatos-na-academia-brasileira-de-letras

A cidade é o Rio de Janeiro, o ano, 1924. O senador Belizário Bezerra acaba de se tornar o mais recente membro da Academia Brasileira de Letras, mas é assassinado no dia de tomada de posse. O crime repete-se uma série de vezes, e sempre da mesma forma: por envenenamento. Os «Crimes do Penacho», como a imprensa os apelida, vão parar às mãos do comissário Machado Machado, quA cidade é o Rio de Janeiro, o ano, 1924. O senador Belizário Bezerra acaba de se tornar o mais recente membro da Academia Brasileira de Letras, mas é assassinado no dia de tomada de posse. O crime repete-se uma série de vezes, e sempre da mesma forma: por envenenamento. Os «Crimes do Penacho», como a imprensa os apelida, vão parar às mãos do comissário Machado Machado, que tenta decifrar estes estranhos assassinatos em série. Ao longo da investigação, o comissário faz diversas incursões pelo mundo carioca, visitando locais habitualmente frequentados por intelectuais e altas figuras da sociedade. Mas as dúvidas quanto ao serial killer subsistem, já que as peças deste confuso e envenenado puzzle não parecem ter ligação entre si... Um delicioso romance policial, que combina humor, suspense, fantasia e sensualidade.Nº de Páginas: 192...

Title : Assassinatos Na Academia Brasileira De Letras
Author :
Rating :
ISBN : 9788535906172
Format Type : Paperback
Number of Pages : 252 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

Assassinatos Na Academia Brasileira De Letras Reviews

  • Ana
    2018-09-16 15:36

    Na Academia Brasileira de Letras os “Imortais” começam a ser assassinados e cabe ao Comissário Machado Machado fazer a investigação. Com a ajuda do médico-legista e da sua namorada vai deslindar as pistas que são deixadas pelo homicida. Os personagens têm muitos apontamentos cómicos e o humor vai servindo de ferramenta para reflectir sobre todos os acontecimentos.

  • adri patamoma
    2018-10-02 14:33

    o jô é legal, e escreve com ótimo senso de humor (adoro!), mas no geral este livro não é tão legal quanto achei que seria, e talvez isso se deva ao fato das minhas expectativas estarem mais altas do que deveriam. achei a história muuuito parecida com a do xangô, que acabei de reler no mês passado, e isso tb foi meio decepcionante. mas o senso de humor faz com que a leitura valha a pena!

  • Adriana Fogaça
    2018-09-25 14:50

    Assassinato na Academia Brasileira de Letras.Jô Soares.Companhia das Letras2005.Bela homenagem a cidade do Rio de Janeiro da primeira metade da década de 20. Nos revelando lugares que hoje são referencias da cidade. Mas que naquele período eram novidades, pois acabavam de ser inauguradas, se é que em determinadas situações posso usar o termo “inaugurar”...rsJá vou avisando não sou especialista em Nelson Rodrigues, mas consegui identificar em duas passagens, que Jô, faz uma singela homenagem a Nelson. Não posso descrever-las, porque senão perderia totalmente a graça e o contexto que elas são inseridas no texto. Agora se alguém, alguma vez, leu um livro de Nelson Rodrigues vai conseguir identificar as ditas passagens, porque são características básicas dos textos de Nelson.Jô faz menções a vários personagens reais que viveram naquela época. E além disso, homenageia autores da literatura brasileira, colocando seus nomes em personagens fictícios.É o livro tão Brasil, que nos trás, certo conforto. Talvez tenha lido muita literatura estrangeira nos últimos meses. E agora, enquanto lia me senti orgulhosa da estória e da brasilidade do texto. Parece loucura da minha parte, mas é a verdade.Ok!!! Depois dos meus sentimentos verde e amarelo. Vamos realmente ao que interessa. Fiquei chocada com a armadilha que me fez cair ingenuamente. Porque de cara suspeitei do assassino, mas com maestria o autor nos faz descartar essa possibilidade.Ainda assim, fico bravíssima comigo mesma, porque uma leitora assídua dos livros do magnífico Sir Arthur Conan Doyle, onde meu personagem preferido Sherlock Holmes, sempre diz que não devemos subestimar o adversário. E não só subestimei o assassino como a inteligência do autor.E para me jogar tudo isso na cara. O comissário Machado Machado, recita uma frase clássica de Holmes: “Quando você eliminou o impossível, o que resta, por mais improvável que pareça, tem que ser a verdade.”Com isso encerro minhas divagações. Ótimo livro, estória deliciosa, brasilidade a toda prova.ADORO!!!RECOMENDADÍSSIMO!!!

  • Thiago Corrêa
    2018-09-21 16:32

    a fórmula parece dar sinais de cansaço. Se não em termos de vendagens, já que Assassinatos na Academia Brasileira de Letras vem permanecendo durante semanas na lista dos mais vendidos; pelo menos na questão criativa. A história toda se desenrola de maneira tão mecânica, metódica e linear, que chega a ser previsível. Falta paixão. É como se Jô Soares tivesse descoberto a fórmula de sucesso e não precisasse mais criar. Apenas aplica a estrutura: humor, mistério, curiosidades históricas; e em cima dela, insere o cenário, a época e os personagens. Aquilo que um dia já foi visto como diferente – a mistura entre ficção e fatos históricos, o uso de imagens e textos de jornal – hoje não impressiona mais, ficou desgastado.

  • Silvana
    2018-09-18 13:50

    Divertido e (demasiado, a meu ver) revelador de um grande trabalho de bastidores, assim é este "Assassinatos na Academia Brasileira de Letras". A obsessão da personagem principal, um comissário chamado Machado Machado, por Machado de Assis é engraçada e usada oportunamente, mas o enredo não é extraordinário (que raiva!, tem sempre de existir uma mulher-amante do detective brilhante, que conhece clássicos da literatura) e o desfecho é previsível (início de SPOILER ALERT – só mesmo um alfaiate poderia querer roubar um fardão verde escuro com folhas bordadas a ouro acompanhado por um chapéu de veludo preto com plumas brancas e por uma espada – fim de SPOILER ALERT) . Dos quatro livros que li de Jô Soares (eis os outros: "O Xangô de Baker Street", "O Homem que Matou Getúlio Vargas" e "As Esganadas"), talvez este seja aquele de que menos gostei. Enfim, não é nada de genial, mas é agradável.

  • Erikson Ribeiro
    2018-09-27 17:30

    No começo da leitura achei estranho a forma da escrita (português antigo) e o uso do latim ao longo dela, mas é algo que acostumei e não a atrapalhou.Gostei muito da forma em que os personagens são apresentados e descritos, como o cenário do Rio de Janeiro é descrito na época. E a trama realmente me prendeu e a todo momento tentava descobrir que era o assassino.Achei muito interessante a forma que o Jô empregou o preconceito/bullying aos anões, caracterizando um personagem nessa condição e as formas de bullying que eram feitas por impulso de uma "mania".

  • Delphine
    2018-10-06 14:43

    Je viens de lire Meurtres à l'Académie de Jô Soares (Editions des Deux Terres, 2008), un petit polar sympathique, croquant assez férocement le cursus honorum dans le milieu littéraire.Rio de Janeiro, 1924.Des Académiciens brésiliens sont assassinés les uns après les autres. Les places libres sont convoitées par un certain nombre d'écrivains, plus ou moins talentueux.Machado Machado, commissaire passionné par le monde des lettres, mène l'enquête dans le milieu littéraire à la mode. Tâche difficile qui lui permettra de rencontrer des personnages assez imprévisibles et beaucoup moins civilisés et policés que l'on eût pu le croire.Un petit roman assez méchant, mais juste un petit roman que je pense avoir oublié dans quelques mois

  • Daniela Rodrigues
    2018-10-04 18:42

    Admito que me custou um pouco a entrar no espírito do livro e a deixar-me embrenhar por ele, mas gostei. Depois de metade do livro, só me apetecia lê-lo e compreender o que se estava a passar. Confesso que suspeitei daquela personagem desde o início, mas o autor conseguiu baralhar-me várias vezes :)

  • Vicky
    2018-09-19 14:40

    This book was great. A light read and so much fun. I love the fact that the story happens in the past and that he adds so many interesting facts seamlessly into the storytelling while keeping it very dynamic. The murders never make you feel bad and the characters are usually fun as well.It's a really fast read and I enjoyed it thoroughly.

  • Marina Coelho
    2018-10-11 18:36

    O primeiro livro de Jô Soares que li, e que confesso ter comprado apenas por curiosidade, foi uma agradável surpresa! A escrita é leve e humorística - como é próprio do autor - e o enredo está muito bem construído.

  • Edgar Coelho Inouye
    2018-09-22 13:39

    The plot is very similar with "As Esganadas" by the same author. It seems that Jô Soares save the scratches when he wrote “Assassinatos na Academia Brasileira de Letras” and reuse them to write "As Esganadas". Here you can see my review of this book: http://www.goodreads.com/review/show/...

  • Luana
    2018-09-30 11:41

    Similar to other Jo's novels it is a light reading with some thriller. The end is far from spectacular and actually predictable, but what makes me want to read all his books is how he mix history with fantasy in an entertaining and funny way.

  • Clarissa C
    2018-09-25 18:42

    Fine.

  • Minny
    2018-10-14 17:38

    Muito bom, a cara do Jô mesmo, muito divertido, misturando mistério com comédia, algo que eu gostaria muito de poder escrever.

  • Flávia
    2018-09-27 14:38

    Uma história bem escrita, mas sem grandes emoções. Os trechos que envolvem nomes de grandes poetas, como Machado de Assis e Olavo Bilac, me fizeram despertar um pouco mais. Gostei do papagaio Bocage!